medica

3 Mitos e verdades sobre o uso de antibióticos

As bactérias são seres microscópicos que estão por toda parte, tanto na água, quanto no ar e no solo, até mesmo no nosso próprio organismo, principalmente na pele e no sistema digestivo. Dependendo da situação, algumas dessas bactérias causam doenças e, estas, só podem ser tratadas e curadas com antibióticos.

Não é novidade que os antibióticos são medicamentos fortes, que devem ser vendidos e utilizados apenas com a autorização de um médico. Além disso, é preciso seguir o tratamento à risca para exterminar de vez a bactéria do nosso organismo.

A automedicação de antibióticos é um problema que preocupa muito os médicos e saúde pública como um todo. No post de hoje vamos esclarecer algumas dúvidas sobre esse tipo de medicamento. Venha ler mais! 

É preciso tomar o remédio na hora exata.

horário

Verdade. Ao receitar algum antibiótico ao seu paciente, o médico sempre ressalta com veemência que é preciso tomar o remédio respeitando o horário entre as doses, rigorosamente.

Caso tomamos o medicamento antes do tempo determinado, o antibiótico extra pode não ser absorvido pelo organismo, ou até mesmo causar alguma intoxicação. Quando atrasamos o horário do medicamento, estamos atrasando o período como um todo, o que pode fazer com que a bactéria crie resistência ao antibiótico ou em alguns casos, que ela se multiplique.

Para evitar estes tipos de complicações, programe tomar os seus remédios em horários que se encaixam com a sua rotina de sono e de trabalho. Outro aliado é sempre colocar um despertador para te lembrar.

“Ah, posso parar o tratamento quando me sentir melhor!”

Mito. Assim como o horário, a duração do seu tratamento também deve ser respeitada à risca. Se o seu médico recomendou para você tomar o antibiótico por 7 dias, é preciso tomá-lo por todo esse período, mesmo que os sintomas já tenham desaparecido.

O que acontece é que as primeiras doses do medicamento eliminam as bactérias mais fracas, o que melhora os seus sintomas. Porém, se o tratamento é interrompido antes do tempo, as bactérias mais fortes continuam no seu organismo, o que pode causar tanto o seu fortalecimento quanto a sua multiplicação.

Caso termine o seu tratamento e você ainda não se sinta bem, procure novamente o seu médico, não se automedique.

 O álcool corta o efeito do antibiótico

bebida

Mito. Não é bem assim. Ingerir bebidas alcoólicas não corta o efeito em si do antibiótico, mas ele pode sim alterar os níveis do seu remédio no seu sangue, o que pode diminuir o efeito.

No entanto, é verdade que os médicos recomendam evitar o consumo de álcool durante o tratamento para não sobrecarregar o fígado, pois é nele que o álcool e grande parte dos antibióticos são metabolizados.

O único antibiótico que não deve de maneira alguma ser consumido com o álcool é o ‘metronidaz’.

É importante ressaltar que de maneira alguma o antibiótico deve ser tomado sem ter nenhuma prescrição médica. O uso indiscriminado deste tipo de medicamento pode alterar o seu organismo como um todo. Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Deixe aqui nos comentários. 

Você também pode se interessar pela seguinte leitura: 3 novidades sobre medicamentos lançados em agosto de 2015;

Quer saber mais a respeito, temos uma seleção de livros para você aprofundar seus conhecimentos!