Câncer de Pele - Livraria Florence

Câncer de Pele – descubra um pouco mais sobre o responsável por 25% dos casos de câncer no mundo

O Câncer de Pele é uma das neoplasias (formas de crescimento não controladas) mais comuns no Brasil, representando cerca de 119 mil casos anualmente segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (INCA); refere-se ao crescimento anormal das células que compõe a pele – o maior órgão do corpo humano, podendo surgir em qualquer região. A maioria dos casos se dá por exposição aos raios ultravioleta mas é preciso estar atento para pré-disposições genéticas e aos diversos tipos de câncer de pele.

 

Os tipos de câncer de pele:

 Câncer de Pele - Sintomas

Os cânceres de pele podem ser divididos em diversos tipos mas a sua classificação mais comum concentra-se em: câncer de pele não-melanoma – que engloba o Carcinoma Basocelular (CBC) e o Carcinoma Espinocelular (CEC) – e o câncer de pele melanoma cutâneo.

Carcinoma Basocelular: esse tipo de câncer não-melanoma é o mais comum registrado e também, o câncer com maior índice de cura. Ele age diretamente na epiderme, a camada mais superficial da pele e de constante multiplicação celular e também nos “apêndices cutâneos” (gândulas sebáceas ou sudoríparas e pelos).

O maior fator de risco para o Câncer Basocelular é a exposição direta ao Sol e aos raios ultravioleta, tendo maior incidência em pessoas de pele clara e acima dos 40 anos de idade, surgindo na face (principalmente o nariz), cabeça, pescoço e peito – áreas de maior exposição. Essa exposição leva à multiplicação desordenada das células, originando o tumor.

Apesar de frequente, o carcinoma basocelular altera a aparência da pele levemente, tornando sua identificação um tanto difícil. A primeira alteração a ser identificada é a presença de uma protuberância de aparência perolada (como se coberta de cera), semelhante a uma ferida que não cicatriza nas cores branca, rosa claro, bege ou marrom que sangre com facilidade, localizada em áreas de grande exposição.

Detectada qualquer alteração é preciso procurar imediatamente um dermatologista que poderá diagnosticar o carcinoma por meio de uma avaliação clínica e uma biopsia do tecido suspeito.

Carcinoma Espinocelular: é o segundo tipo mais comum de câncer, sendo responsável por 20% dos casos de câncer não-melanoma. Assim como o carcinoma basocelular, tem origem em áreas de grande exposição ao sol – como couro cabeludo e orelhas – mas é predominante em pacientes a partir dos 60 anos e do sexo masculino. É um tipo de câncer mais agressivo que pode vir a atingir outros órgãos se não diagnosticado precocemente.

Os sintomas do carcinoma espinocelular se dão 70% na região da cabeça, pescoço e dorso das mãos, dentre eles, é possível identificar sinais de dano solar na pele (perda de elasticidade e mudança na pigmentação), regiões avermelhadas, descamação e crosta no local afetado, crescimento rápido e se assemelha a uma ferida que não cicatriza e pode soltar líquidos em caso de lesão. O diagnóstico também se dá por meio da biópsia do tecido suspeito.

Câncer de pele melanoma cutâneo: apesar de o câncer de pele corresponder a 25% dos tumores malignos registrados no país, cânceres do tipo melanoma representam apenas 4% das neoplasias epidérmicas. Esse tipo de câncer tem origem nos melanócitos, as células produtoras de melanina e que determinam a cor da pele e tem predominância em adultos brancos.

Dentre os sintomas que identificam o câncer de melanoma cutâneo, destaca-se o aparecimento de uma pinta escura e de bordas irregulares, acompanhada de coceira e descamação da pele; o câncer também pode se manifestar através de pintas já existentes que apresentam alteração de forma e possível sangramento.

Seu diagnóstico se dá por meio da biópsia do linfonodo sentinela que verifica a expansão do câncer por meio do estudo dos linfonodos – órgãos que atuam na defesa do organismo e na produção de anticorpos, além de serem necessárias tomografias computadorizadas ou exames de raio-X para verificar a expansão do tumor.

 

A regra do “ABCD” para identificação de Cânceres de Pele:

Câncer de Pele - Regra do ABCD

(fonte: G1)

Para todo câncer de pele, existe uma regra geral para que se possa identificar qualquer manifestação da neoplasia em seu estágio inicial, essa regra recebe o nome de ABCD e consite em:

A)     Assimetria: pintas devem ser simétricas; imagine uma divisão no meio da pina e verifique sua simetria, se um dos lados apresentar qualquer diferença, deverá ser investigado.

B)      Bordas Irregulares: pintas possuem borda uniforme; verifique se suas pintas apresentam uma borda irregular – serrilhada.

C)      Cor: cores e pintas normalmente apresentam uma única coloração; verifique alteração de cor ou mistura de cores em uma mesma pinta ou mancha.

D)     Diâmetro: verifique se pintas ou machas apresentaram crescimento progressivo.

 

Grupos de risco para o câncer de pele:

 Câncer de Pele - grupos de risco

  • Pessoas de pele clara;
  • Albinos;
  • Pessoas com muitas pintas ou sardas;
  • Pessoas com histórico familiar de câncer de pele ou deficiências genéticas relacionadas ao pigmento da pele;
  • Pessoas que vivem em locais de muita incidência solar ou que se expõem muito ao sol sem proteção adequada (trabalhadores rurais, ambulantes, etc);

 

Tratamento para o câncer de pele

O tratamento mais convencional para o câncer de pele é a retirada cirúrgica do tumor porém, por ter maior incidência em idosos, podem haver outros meios de tratamento que variam desde a quimioterapia até mesmo a radioterapia que não são tão perigosos para esse grupo de risco.

 Câncer de Pele - Tratamento

Apesar de não parecer sério pela facilidade de remoção, os cânceres de pele – se não diagnosticados precocemente – podem levar a ulceração e necrose das áreas afetadas. Para evitar que isso aconteça, é importante fazer autoexames regularmente, conhecendo sua pele e estando atento para qualquer alteração. Evite também a exposição excessiva ao sol, utilizando chapéu e roupas para proteção além, é claro, do filtro solar.

Não deixe que um problema tão facilmente evitado interfira de maneira trágica em sua vida; tomar um bom banho de sol é relaxante e até saudável, seja prevenido para ter uma vida longa e próspera.