Causas e tratamentos da epilepsia

A epilepsia é uma doença neurológica e atinge de 1% a 1,5% de pessoas no mundo. No Brasil, um país ainda em desenvolvimento, acredita-se que o número seja maior. De acordo com a Assistência à Saúde de Pacientes com Epilepsia (ASPE), em 2010, existiam 3 milhões de pessoas com a doença no País.

O aparecimento das crises é uma descarga elétrica muito forte nos neurônios do paciente, causados por estímulos externos ou por lesões cerebrais decorrentes de algum trauma. O tipo de crise, chamada de “ataque epilético”, consiste em convulsões e movimentos involuntários do corpo. Infelizmente, nada se pode fazer nas crises, apenas colocar a pessoa levemente de lado para não se afogar com a saliva ou vômito.

Atualmente, diversos tratamentos conseguem controlar a doença em 70% dos pacientes somente com medicamentos.

Curiosidades

Na Grécia Antiga, a epilepsia era dita como ‘sagrada’. Em Roma, era um ‘mal comicial’, isto é, se uma pessoa tivesse uma crise no meio de um comício, era sinal que os deuses não concordavam com o evento. O grego Hipócrates, pai da medicina, foi o primeiro a identificar a doença como proveniente do cérebro no ano 400 a.C.

(Com informações da ASPE e Veja)