Cuide Bem da Sua Pele

Maio é o mês de conscientização sobre câncer de pele. A exposição excessiva e desprotegida aos raios solares aumenta o risco de melanoma. Este tipo de câncer é caracterizado pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõe a pele. Qualquer célula, neste cenário, pode originar um tumor, logo, existem diversos tipos de câncer de pele.

É importante destacar que toda pinta é um tumor benigno, que se desenvolve a partir de melanócitos, mas quase todas são inofensivas. Entretanto, elas devem ser observadas com cuidado.

Conheça a regra do ABCD

cancerdepele

 

A metodologia é indicada pela SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia), com a finalidade de facilitar o reconhecimento das manifestações dos três tipos principais de câncer de pele: carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e melanoma.

Não confunda

Tumores benignos que se desenvolvem a partir de outros tipos de células de pele:

  • Queratoses seborreicas: Pontos salientes marrons ou pretos com superfície áspera.
  • Hemangiomas: Crescimentos benignos dos vasos sanguíneos, muitas vezes chamados de ‘manchas de cereja’.
  • Lipomas: Tumores benignos das células de gordura.
  • Verrugas: Crescimentos de superfície áspera, causados por um vírus.

 

Você faz parte do grupo de risco?

As reações negativas da radiação solar têm efeito cumulativo. Isso explica porque o câncer de pele é mais comum em áreas do corpo constantemente expostas ao sol, como o rosto e a parte superior do tronco (70% dos casos), assim como porque tem maior incidência em indivíduos idosos (raramente observa-se a doença antes dos 40 anos).

Apesar de sua baixa letalidade em relação a outros tipos de tumores malignos – quatro a cada cinco pessoas com melanoma são curadas -, o câncer de pele é o mais prevalente na população humana. Estimativas do INCA (Instituto Nacional de Câncer) apontam que, anualmente, no Brasil, existem 120 mil novos casos. Examine sua pele e responda às seguintes perguntas:

1.       Você tem pele sensível ao sol e fica com sardas e manchas facilmente?

Sardas atuam como um termômetro para mostrar o quão sensível a sua pele é ao sol. Pessoas com pele clara, que se queimam facilmente, sofrem um risco maior de desenvolver a doença.

2.       Você fica muito tempo exposto ao sol? Ou ficou exposto no passado?

Pessoas que passam muito tempo ao ar livre, seja por causa da profissão ou por lazer, precisam redobrar o cuidado.

3.       Você frequenta ou frequentava clínicas de bronzeamento artificial?

Camas de bronzeamento artificial aumentam em até 75% o risco de desenvolver a doença.

4.       Você tem muitas pintas espalhadas pelo corpo ou alguma pinta com aspecto ‘engraçado/diferente’?

5.       Você tem casos de câncer de pele na família?

O histórico familiar diz muita coisa. Se alguém de sua família já desenvolveu algum tipo de câncer de pele, o seu risco para melanoma aumenta.

 

Prevenção 

Brócolis
Antes de sair ao sol, a maioria das pessoas aplica protetor solar na pele exposta. No entanto, um novo estudo sugere que o brócolis pode ser tão eficaz quanto um protetor solar. Quando esfregado diretamente na pele, reduz as chances de uma pessoa desenvolver câncer de pele, pois é muito eficaz no bloqueio de queimaduras e há casos em que induz enzimas protetoras na pele.

Células-tronco

Células-tronco descobertas na pele podem ajudar na prevenção do câncer. A pele tem células-tronco instaladas em sua camada mais baixa que ficam ‘adormecidas’ até que, por algum motivo, sejam convocadas a acordar e iniciar a multiplicação, fato que pode justificar a constante renovação do maior órgão do corpo humano. Esta renovação pode auxiliar na reparação de células defeituosas.

cancerdepele3

 

Como se proteger do sol

  • Use protetor solar: Sabemos que você já ouviu isso um milhão de vezes, mas protetor solar realmente é a melhor opção para prevenir o câncer de pele, se você permanece muito tempo ao ar livre. Escolha um protetor solar com pelo menos FPS 15. O filtro deve ser usado diariamente, mesmo em áreas urbanas.

                           5 erros comuns na hora de passar o filtro solar

Passar o protetor solar após sair de casa
Aplicação em quantidade escassa
Não reaplicar após nadar ou suar
Aplicar apenas uma vez ao dia
Usar filtro solar apenas em dias de sol

  • Evite exposição direta ao sol do meio-dia: Esse horário é quando os raios solares estão no pico de intensidade.
  • Mantenha-se na sombra
  • Use roupas de proteção: Tente cobrir as áreas da pele expostas ao sol usando roupas leves. Um chapéu de abas largas e óculos de sol também são bons para a prevenção.

 

Tratamento

Quando diagnosticada precocemente, há diversas formas de tratamento e muitas chances de cura da doença. Existem várias modalidades terapêuticas, sendo que a principal e mais realizada é a do procedimento cirúrgico, mas depende do tipo de lesão. Se for inicial e superficial, há possibilidade de tratamento não cirúrgico, podendo ser feito à base de alguns medicamentos específicos ou através da luz, que a terapia fotodinâmica. Conheça os tratamentos:

  • Terapia Fotodinâmica

Um tratamento eficiente que não deixa cicatrizes- porém pode ser aplicado apenas em estágios iniciais.

cancerdepele2

 

  • Tomografia de Coerência Óptica (TCO)

Já conhecido dos norte-americanos e europeus, o exame de imagem acaba de chegar ao Brasil como alternativa à biópsia. O equipamento funciona como um scanner de luz infravermelha, que permite a visualização das estruturas internas superficiais da cútis. Com ele, é possível identificar as particularidades dos melanomas para indiciar um tratamento mais assertivo e acompanhar, periodicamente, a evolução da terapia com medicamentos. A TCO é indolor, não invasiva e permite um diagnóstico imediato, por meio da visualização em tempo real.

  • Ipilimumabe
    Imunoterapia que ativa o sistema imunológico para atacar a doença
  • Vemurafenibe
    Terapia alvo funcional para pacientes que apresentam mutação no gene BRAF.

 

Esclarecer é prevenir. Se você notar alguma lesão, por menor que seja, consulte seu dermatologista o mais breve possível.