Rede de dormir auxilia no desenvolvimento de bebês prematuros

Bebês prematuros – como o uso de redes pode auxiliar o desenvolvimento de prematuros e cuidados a se tomar durante a internação

Bebês prematuros são uma preocupação para pais e médicos, normalmente são mais tendenciosos à infecções por nascerem sem a imunidade de seus pulmões completamente formada. Além disso, costumam se agitar mais nas incubadoras e esse gasto de energia prejudica o desenvolvimento e ganho de peso da criança. A solução encontrada pela fisioterapeuta Jaqueline Azevedo foi incrivelmente simples e tem mostrado bons resultados nos hospitais do nordeste do país.

 

As  mini-redes de algodão adaptadas para as incubadoras simulam o ambiente do útero materno, o que faz com que os bebês sintam-se aconchegados e protegidos, além de receberem estímulo sensório-motor, desenvolvendo-se mais rápido e mais saudáveis. Existem casos de bebês que, em uma semana de tratamento onde passaram cerca de uma hora e meia diária em uma dessas redes, apresentaram um ganho de 250g – sendo que a média de ganho de peso para um bebê prematuro é de 105g nesse mesmo período.

A rede simula o útero e auxilia no desenvolvimento de prematuros

Além de acalmarem, as redes ainda auxiliam no desenvolvimento motor do bebê e chegam a dobrar seu ganho de peso semanal.

 

Cuidados com a amamentação do prematuro

cuidas a serem tomados com bebês prematuros

 

 

Após o nascimento, bebês prematuros necessitam de um tempo a mais de internação e um acompanhamento especial pois são mais sensíveis e podem apresentar má formação do sistema respiratório, passando boa parte de sua internação dentro de incubadoras para poupar energia e exposição desnecessária. Muitos pais não sabem que, mesmo durante o período de incubação, existem alguns cuidados que eles podem tomar para ajudar no desenvolvimento do bebê.

Para conhecer mais sobre o processo de internação neonatal confira nossa sessão de livros materno-infantil.

 

cuidados a serem tomados com bebês prematuros

Durante a internação, é normal os pais ficarem nervosos mas é preciso entender que todos os procedimentos feitos ali são necessários para que seu bebê possa se desenvolver de maneira saudável.

 

Dentre os mitos relacionados aos cuidados com um bebê prematuro está a amamentação. O leite materno é essencial para o desenvolvimento de qualquer criança mas, para os bebês prematuros existe uma necessidade maior de amamentação nos primeiros dias após o parto pois este contém os nutrientes necessários para o recém-nascido e ajuda a prevenir infecções.

 

Amamentação de bebês prematuros

No caso de bebês muito prematuros, pode ser que o corpo da mãe não esteja preparado para suprir todas as necessidades de seu bebê, para isso, procure orientação médica sobre como estimular os seios para aumentar a produção de leite.

 

Apesar da necessidade do leite materno, o bebê prematuro não teve tempo de se fortalecer dentro do útero então terá de aprender a mamar, esse processo pode se dar lentamente, de acordo com o tamanho da criança e seu estado geral de saúde. O ato da sucção pode ser difícil, por isso recomenda-se que a mãe tire o leite já no quarto da maternidade para firmar a produção de leite e facilitar o fluxo da mamada do bebê.

É fundamental que a presença, tanto da mão quanto do pai, não se dê somente no processo de amamanetação mas durante todo o processo de internação (que pode ser longo e doloroso para o bebê). O toque dos pais é essencial para o bem-estar emocional do bebê, fazendo com que ele se desenvolva de maneira saudável e não apresente maiores complicações ou sequelas.

 

Fique atento ao calendário de vacinação de seu bebê

Calendário de vacinação de bebês prematuros

Bebês prematuros possuem um calendário de vacinação diferenciado pois tem uma necessidade maior de vacinas imunológicas contra doenças respiratórias.

 

Muito se diz sobre o “peso ideal” e o argumento de que “bebês prematuros não podem ser vacinados” é frequente, não existe um peso mínimo para iniciar a vacinação e é fundamental que o prematuro seja imunizado a infecções respiratórias. A vacinação pode se dar já na maternidade mas deve-se respeitar as condições clínicas do bebê – ele deve estar em fase de ganho de peso e não apresentar nenhuma complicação ou patologia.

As principais vacinas em bebês prematuros são:

Influenzas – é indicada tanto para bebês prematuros quando bebês nascidos em tempo, deve se dar próxima aos 6 meses de vida e, preferencialmente, antes da época de maior incidência (outono) necessitando de reforço anual.

Vacina Pneumocócica – quanto menor o peso do bebê, maior será o risco de atrair doenças pneumocócicas. A vacinação é indicada para todos os bebês prematuros, a partir do 2º mês de vida, sendo dividida em três doses a serem aplicadas bimestralmente, necessitando de reforço entre o 12º e 15º mês de vida.

Vacina BCG – a vacina contra tuberculose necessita de somente uma dose mas é recomendada somente para recém-nascidos com mais de 2000g.

Hepatite B – a infecção em prematuros pode tornar-se crônica, levando até mesmo ao câncer hepático, portanto, recomenda-se a aplicação da dose logo nas primeiras 12 horas de vida do bebê. Recomenda-se, além das habituais 3 doses (ao nascer, no 1º e no 6º mês de vida), uma dose adicional no quarto mês de vida.

Vacina para prevenção do Vírus Sincicial Respiratório (VSR) – é indicada uma dose de 15mg/kg, aplicada consecutivamente durante 5 meses no período de maior incidência do vírus (março a setembro). Recomenda-se que a primeira dose seja aplicada na unidade neonatal, próximo ao período de alta do bebê.