Estudo australiano revela proteína que inibe vírus da AIDS

Muitas das pesquisas que buscam a cura da AIDS tentam eliminar totalmente o vírus do organismo. Entretanto, o cientista australiano David Harrich, do Instituto de Pesquisa Médica de Queensland, na Austrália, anunciou um potencial medicamento que mantém o vírus latente, mas sem capacidade de se reproduzir.

A terapia evita que o HIV se reproduza, mas não o mata. O pesquisador conseguiu modificar uma proteína que o vírus usa para a replicação, ou seja, inibe o crescimento do vírus. A proteína sintetizada foi chamada de Nullbasic e mostrou alto desempenho no bloqueio do crescimento do HIV em laboratórios. Segundo o cientista, ela pode conter a AIDS – doença ocasionada quando a carga viral do HIV é alta e as células imunológicas estão abaixo de 200.

O estudo foi publicado na última edição do periódico Human Gene Therapy. Caso a pesquisa tenha êxito, pacientes ainda terão o vírus, mas ele não desencadeará a doença embora o vírus permaneça no organismo.

Isso representa uma maior qualidade de vida para os infectados e diminuição dos custos com os medicamentos antirretrovirais para pessoas e governos. Testes da proteína em animais estão previstos para começar este ano, mas ainda deve levar alguns anos para que se desenvolva um tratamento a partir dela.

(Com informações da Veja)