hepatite-c-tratamento-novos-medicamentos

Hepatite C: Tratamento ganha novos medicamentos

A hepatite C é uma doença silenciosa, com poucos sintomas e que atinge 3% da população mundial, segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde). Por ser um vírus, transmitido, em sua grande maioria, através do sangue contaminado, a hepatite do tipo C é uma grande preocupação da saúde pública, pois desenvolve de maneira crônica, o que causa graves lesões no fígado.

Informações do Ministério da saúde revelam que ocorrem cerca de 10 mil casos ao ano no Brasil e que cerca de três mil mortes estão associadas à hepatite C anualmente. Em 13 anos de assistência, o SUS já realizou mais de 100 mil tratamentos da doença. Além disso, há a distribuição de testes rápidos para aumentar as chances de detecção da doença.

Por ser uma doença com desenvolvimento lento e diagnóstico tardio, o tratamento acaba ocorrendo somente quando a hepatite já está em estado avançado, mas ainda assim há chances de cura. Visando melhorar esse processo de recuperação, o Ministério da Saúde anunciou o fornecimento de novos medicamentos para melhorar o tratamento do tipo C.

hepatite-c-novos-medicamentos

Tratamento

O Sistema Único de Saúde (SUS) passará a ofertar uma nova terapia contendo estes medicamentos, com o intuito de diminuir o tempo de tratamento dos pacientes com hepatite C e aumentar os casos de cura.

Além das duas novas medicações, a nova terapia também conta com o uso do Simeprevir. O início da distribuição destes medicamentos será em dezembro deste ano e é claro, tudo gratuitamente. Caso você tenha hepatite C, não deixe de procurar uma Unidade de Saúde próxima para se informar sobre como pode receber esse benefício.

O investimento para melhorar o tratamento da hepatite C é uma ótima notícia para a saúde pública brasileira. O que você achou dessa notícia? Deixe sua opinião aqui nos comentários.

 

Novos medicamentos

Os novos medicamentos que vão passar a ser ofertados pelo SUS são: Sofosbuvir e Daclatasvir. Eles poderão ser encontrados em todos os estados do País, beneficiando 30 mil pessoas em um ano.

Para usufruir desse novo tratamento, os pacientes precisam preencher alguns requisitos, por isso, é preciso ir com antecedência a uma unidade de saúde para realizar o cadastro.