Psicologia Infantil: 5 maneiras de descobrir se seu filho precisa de um psicólogo

As crianças enfrentam muitos obstáculos à medida que crescem, e todos eles experimentam coisas como estresse, luto e intimidação em seus próprios caminhos. Pode ser difícil saber quando seu filho pode lidar com algo de forma independente e quando pode precisar da ajuda de um especialista. Se o seu filho quebra o pulso, é claro que você precisa levá-lo ao hospital imediatamente, certo? No entanto, o que fazer quando seu filho começa a apresentar sintomas de ansiedade, depressão ou mudanças gerais no comportamento, é muito menos claro.
A boa notícia: há muita ajuda para as crianças que precisam dela. Crianças a partir dos 4 anos podem se beneficiar da terapia, especialmente se você notar qualquer uma dessas bandeiras vermelhas:

1. Ele está tendo dificuldades em casa, na escola e em relacionar-se.

Quando uma criança está lutando com suas emoções, ela tende a se comportar mal – por exemplo, falando com seu professor na escola, batendo em seus irmãos e não ouvindo seus pais. De repente ela está se isolando dos amigos. As amizades mudam com o tempo e algumas crianças desfrutam de grupos maiores do que outras, mas se ela está evitando amigos, é uma bandeira vermelha. Fique atento a declarações como “Todo mundo me odeia” ou “Eu sou um perdedor” ou “Eu não tenho amigos”.

2. Ele está regredindo.

Aqui está o ponto: as crianças tendem a regredir quando há uma grande mudança em suas vidas, como o nascimento de um novo irmão ou o divórcio entre seus pais. Mas, coisas como comportamento pegajoso, choros aparentemente sem motivo, medo excessivo e acessos de raiva que não estão relacionados a uma mudança (ou esses comportamentos estão acontecendo há mais de um mês depois de uma grande mudança) sinalizam um problema.

3. Ele está sempre triste e desanimado.

Todas as crianças têm preocupações às vezes e todas as crianças choram. Isso faz parte da infância. Mas, preocupar-se não é normal se está interferindo em sua capacidade de ir à escola ou cuidar de si mesma. Os sintomas preocupantes incluem problemas para dormir, pesadelos, comer execessivamente ou muito pouco, além de dores de cabeça e dores de estômago excessivas.

4. Ela desenvolveu comportamentos autodestrutivos.

Isso pode ser difícil, porque às vezes as crianças batem a cabeça contra as coisas sem intenção de se machucar. O comportamento autodestrutivo repetido, no entanto, é um problema – como se ela estivesse cravando as unhas na pele para tentar causar dor ou cortar-se ou bater em si mesma.

5. Ele fala sobre a morte ou pensa repetidamente no assunto.

É normal que ele fale sobre morrer e como ele pode morrer enquanto explora o conceito de morte, mas repetidas conversas sobre morte e morrer são uma bandeira vermelha. Cuidado com as declarações sobre suicídio (em linguagem infantil, claro) ou matar outras pessoas. Qualquer conversa sobre suicídio ou morte de outra pessoa requer a ajuda de um especialista imediatamente.

No final do dia, você conhece o seu filho melhor do que ninguém e você deve confiar em seus instintos. Se você sente que algo não está certo e seu filho está com dificuldades, provavelmente você está certo. Além disso, muitas crianças expressam seus sentimentos através da arte. Preste muita atenção ao que ele anda desenhando ou assistindo, por exemplo, e tente identificar as emoções do seu filho. Caso note alguma mudança ou um dos comportamentos citados acima, não tenha medo de fazer o primeiro telefonema e encontrar um psicoterapeuta infantil, a saúde do seu filho deve vir sempre em primeiro lugar.