Medicina veterinária: Como realizar trabalho voluntário

Um recente episódio com o veterinário Ricardo Camargo no interior de São Paulo tem causado muita discussão sobre as regras do Código de ética de Medicina veterinária envolvendo a realização de trabalho voluntário de profissionais da área.

Veja no nosso texto de hoje mais sobre este caso e discussão que se iniciou a partir dele:

O caso que iniciou a discussão

O veterinário Ricardo Fehr Camargo de São Carlos (SP), desde do dia 23 de janeiro decidiu não cobrar por consultas aos sábados, a fim de atender animais de pessoas sem condições para pagar um atendimento com o especialista. Porém, o Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo (CRMV-SP) proibiu esse tipo de exercício da profissão, julgando estar contra os códigos de ética preestabelecidos pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária.

O episódio ganhou grande repercussão, principalmente nas redes sociais, em que os usuários se solidarizavam com o médico e a sua atitude. O caso de Ricardo serviu para gerar uma discussão maior entre os médicos veterinários e os componentes do Conselho sobre esse assunto tão importante para a profissão e a sociedade como um todo.

Veja o post de Ricardo Fehr mostrando indignação em sua rede social:

postagem-facebook

Código de Ética

O tema é abordado no código de ética do Conselho Federal de Medicina Veterinária no Capítulo VIII – Dos Honorários Profissionais artigos 21 e 22, veja:

Art. 21: Ao médico veterinário não é permitida a prestação de serviços gratuitos ou por preços abaixo dos usualmente praticados, exceto em caso de pesquisa, ensino ou de utilidade pública.

Parágrafo único: Casos excepcionais ao caput deste artigo deverão ser comunicados ao CRMV da jurisdição competente.

Art. 22. É vedado ao médico veterinário permitir que seus serviços sejam divulgados como gratuitos.

O que Ricardo e muitos profissionais da área defenderam era que o trabalho do veterinário era considerado de utilidade pública. No entanto, segundo representantes do CRMV-SP, a atividade só é qualificada de utilidade pública quando está vinculado à alguma entidade sem fins lucrativos como: ONGs, instituições públicas ou empresas conveniadas que proporcionem atendimento e tratamento de animais carentes. No caso do Doutor Ricardo é que ele fazia o trabalho de forma independente, em seu próprio consultório.

Quero fazer trabalho veterinário voluntário, como faço?

Como podemos ver, segundo o código de ética de medicina veterinária, a única forma de exercera profissão de maneira voluntária é filiar à uma entidade sem fins lucrativos, que faça um trabalho sério, procurando sempre ajudar animais carentes e de donos que não possuem condições financeiras para pagar uma consulta ou tratamento.

Fazer trabalho voluntário é uma atitude ilustre e que deve ser feito sempre que possível. Para que não ocorro nenhum problema com o Conselho da sua Profissão, procure se informar sobre as melhores maneiras para fazer esse tipo de trabalho.

Venha ler mais sobre Medicina Veterinária no nosso blog. Temos textos interessantes como: Pesquisas e descobertas recentes no mundo animal; E sobre os Benefícios de animais de estimação para crianças.